sábado, 15 de julho de 2017

O BEIJO NA BELA ADORMECIDA por Fernando Volpi



Em 2016,  ainda como Secretário de Turismo e Esporte, fui procurado por representantes de diversos setores da sociedade os quais me falaram da ansiedade de todos pelo restabelecimento da Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Canavieiras,  em estado letárgico há várias décadas.
A sede,  que estava em ruínas, foi cedida em comodato a uma importante instituição de capacitação profissional,  com inspiração inclusiva, o que emprestou à construção uma meritória finalidade,  apesar de ter sido restaurada sem considerar o estilo original,  o que na verdade não vem ao caso neste momento.
Na cidade,  colhi informações importantes sobre a instituição mas não tive tempo suficiente para montar um dossiê bem consubstanciado sobre o assunto de modo a me dirigir às instâncias competentes com segurança e conhecimento. Somente em 2017,   fora da gestão pública,   ganhei fôlego para me dedicar a essa causa de escopo legitimamente popular.
Conversei com alguns provedores de Santas Casas ativas em diversas cidades (capital e interior) e cheguei à CMB - Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Brasil,  que congrega 15 Federações Estaduais representando 1.787 hospitais sem fins lucrativos em todo o país.
E foi a CMB que me indicou o escritório de advocacia Santanna&Santanna, ao qual  encaminhei a documentação que me foi apresentada pela Dra. Therezinha Niella.  Os advogados analisaram o conteúdo e marcaram nova reunião  para o dia 27 de Julho,  na sede da CMB no Rio de Janeiro,  quando as possibilidades do pleito serão amplamente e detalhadamente discutidas.
Em agosto,  estarei em Brasília participando extra-oficialmente do 27º Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos,  ocasião em que procurarei conversar com provedores e/ou seus assessores tendo em vista alinhar adesões que fortaleçam e lubrifiquem a emperrada engrenagem da Irmandade até então 'adormecida' em Canavieiras.
Do meu jeito pouco ortodoxo, pulverizo em diferentes patamares a expectativa da comunidade canavieirense segundo me foi particularmente solicitado por pessoas ainda perplexas com o mistério da bela adormecida ,  embora eu não tenha muita aptidão para príncipe despertador. Se a bela adormecida não acordar com o beijo,  acordará no tranco. Todavia,  como a polêmica para mim é instigante, e,  mesmo considerando minhas atuais atividades no setor privado que absorvem mais tempo do que tenho capacidade de suportar, aceitei o desafio mesmo sob a advertência de estar "cutucando vespeiro". Não peguei o espírito da coisa e por isso peguei a coisa , da qual só desgrudarei se meus outorgantes extinguirem a outorga. Afinal,  segundo os biólogos,   vespas também produzem mel. E,  ainda segundo os críticos,   tenho algo de marimbondo em minhas atitudes.


Há.  entretanto,  informações ainda nebulosas e que exigem mais clareza para que se possa buscar a concretização dos objetivos colimados com maior conhecimento e aptidão para responder às perguntas imprevisíveis em diferentes instâncias.
Acredito ser chegada a hora de se constituir,  na cidade,  uma força-tarefa não na linha da lava jato,   mas na linha de uma busca consciente,  solidária,  fraterna e apolítica de uma solução para essa ainda não claramente explicada interrupção de atividades de uma das mais importantes instituições do município.
O despertar da Irmandade Santa Casa de Misericórdia é uma causa inspirada no AMOR e não nas polêmicas nem nas câmaras soturnas das dúvidas não devidamente esclarecidas.
"Servir ao doente é servir a Jesus Cristo, e nós temos o dever de merecer tanta honra" - afirmou São Camilo de Lellis.
Agradeço à Usina Coque Fibras (de Una) e ao amigo Genilson Nascimento pelo apoio moral e financeiro a esta prospecção de resultados.

Nota:  foto com a camisa da campanha no canal de Cabo Frio,  onde há muitos canavieirenses trabalhando no setor de turismo e que já emprestam apoio e agradecem aos idealizadores.





Postagem Anterior
Próxima Postagem

0 comentários :