terça-feira, 26 de maio de 2020

APAIXONADOS POR CANAVIEIRAS PRESTA HOMENAGENS

Durante as comemorações do 129 anos de emancipação político-administrativa de Canavieiras, o Professor Durval Filho e o memorialista Raimundo Tedesco foram homenageados


A preservação da memória de Canavieiras é um dos principais objetivos do grupo Apaixonados por Canavieiras, que promoveu quatro lives pelo Facebook no período de 22 a 25 de maio. A cada dia um tema sobre a história do município era abordado pelos debatedores e nesta segunda-feira (25), Dia da Cidade, foram homenageados o professor Durval Pereira da França Filho e o memorialista Raimundo Antônio Tedesco.
Todos os quatro eventos foram coordenados por Caio Loureiro Peltier, Miguel Fróes e Eliomar Tesbita, com a finalidade de apresentar às novas gerações a história de Canavieiras, muitas deles ausentes nos livros escritos e disponíveis para a população. Nesta segunda exposição foram apresentados os temas comércio, cacauicultura, administração pública e política, além de assuntos gerais.
No dia 25, o grupo Apaixonados por Canavieiras prestou justa homenagem ao historiador professor Durval Pereira da França Filho, pela sua contribuição ao resgate da história, contada em quatro livros editados: Canavieiras e sua história (1981), Cem anos de Canavieiras (1991), Pelos caminhos da Fé (2009), e Canavieiras – Terra Mater do Cacau, este em coautoria com Aurélio Schommer (2013).
O professor Durval, está finalizando novos livros sobre Canavieiras e ele possui, ainda, uma vasta produção de artigos sobre a história da cidade. Graduado em Estudos Sociais (História) pela Uesc, o professor Durval também é especialista em História Regional e mestre em Cultura e Turismo, ambos pela Uesc. A sua dissertação de mestrado versou sobre “Belmonte, cultura e turismo: numa (re)visão de Iararana, de Sosígenes Costa”.
O memorialista Raimundo Antônio Tedesco é um dos grandes investigadores da história de Canavieiras e tem uma visão de real de todo o município por conhecê-lo desde os tempos em que exercia a fiscalização da carteira agrícola do Banco do Brasil. Desde sua juventude se interessava pela história em conversas com pessoas mais velhas, anotando fatos e recolhendo fotografias.
Atualmente, Tedesco possui o maior acervo de livros, documentos e imagens históricas de Canavieiras, que são utilizadas na elaboração dos livros que escreveu e os que continua escrevendo. Também utiliza como fonte de pesquisa os livros de tombo da paróquia de São Boaventura, as atas da Câmara de Vereadores (antes Conselho Municipal), do Poder Executivo e da Loja Maçônica União e Caridade, que completará 130 anos de fundada.
Passado o período dos festejos do Dia da Cidade, o grupo Apaixonados por Canavieiras já se movimenta para realizar uma viagem fluvial de circunavegação das ilhas de Canavieiras, assim que passar a pandemia. Outros encontro – também publicados em lives – estão previstos, como um debate sobre – “as filhas de Canavieiras” –, os distritos que se emanciparam.
Dentre as atividades cotidianas do Apaixonados por Canavieiras estão as gravações em vídeo e fotografias de pessoas, equipamentos urbanos e construções históricas que resistem ao tempo. “Continuaremos nossas conversas com as pessoas mais antigas, que são fontes de informação importante para o nosso trabalho, com a finalidade de mostrar aos canavieirenses mais novos”, ressalta Caio Loureiro Peltier.
Walmir Rosário - Radialista, Jornalista e Advogado
Postagem Anterior
Próxima Postagem

0 comentários :